Galpão de lona para locação – O que é? Como funciona? Quanto custa?

Um galpão de lona para locação é o que muitas pessoas procuram. Mas, será que vale a pena locar um espaço protegido por lona? Quais são as vantagens  de alugar um galpão que é feito com lona? Os espaços desses galpões são menores do que os galpões logísticos mais comuns? Quais são as vantagens e desvantagens?

Cresce o número de pessoas que buscam por um espaço para conseguirem colocar os seus produtos, armazenar seus materiais e realizar a distribuição de logística de suas empresas. E isso não acontece somente com as grandes empresas de tamanho nacional e internacional, mas também com os pequenos empreendedores, pequenas e médias empresas.

Dessa forma, é necessário buscar por formas de como realizar a logística empresarial voltada para os produtos, ou seja, uma maneira de que os produtos e materiais da empresa fiquem todos em um local centralizado, não tão perto do centro urbano a ponto de dificultar acesso de carga e descarga, mas não tão longe que fique muito distante de tudo.

No conteúdo de hoje, falaremos um pouco mais sobre um tipo diferente de galpão logístico que vem ganhando espaço entre os empreendedores menores: o galpão de lona para locação. Acompanhe-nos até o final do conteúdo e saiba maiores detalhes sobre o assunto. Vamos lá, leia com a gente!

O que é um galpão de lona para locação?

Mas afinal, o que é um galpão de lona para locação? Em geral, trata-se de um galpão de logística “móvel”, com menor segurança do ponto de vista de armação, mas que cumpre a mesma funcionalidade que um galpão logístico de ferro encontrado em grandes cidades. É um galpão mais acessível financeiramente falando.

Sua estrutura é composta por hastes metálicas, que são cobertas por uma lona que fica rente ao seu corpo. Dessa forma, cria-se uma espécie de cabana de lona em formato de galpão, que pode assumir diferentes tamanhos, formas e funções, de acordo com o que você precisar para o momento.

Como mencionado, é um tipo de galpão mais acessível financeiramente falando. Seu preço para locação de galpão varia principalmente de acordo com a região em que você está localizado, mas sendo cobrado em média por metragem quadrada. Muitos pensam em comprar esse tipo de galpão para si, mas já antecipamos que não vale a pena.

No decorrer do conteúdo, você irá notar que vale muito mais a pena contratar esse tipo de serviço, ou seja, um galpão de lona para locação, do que adquirir o seu próprio e ter que arcar com a compra de um local para instalá-lo, ou então arcar com os custos de sua manutenção constante. Continue lendo conosco!

Qual o custo do aluguel de um galpão de lona?

E quanto custa um galpão de lona para locação? Bem, como mencionado anteriormente, o preço é concedido através da metragem quadrada. O principal diferencial desse tipo de galpão está nos tamanhos disponíveis para locação, já que galpões tradicionais são encontrados somente em tamanhos enormes, como por exemplo, 1.700m².

Por outro lado, esses galpões de lona podem ser encontrados em metragem bem reduzida, variando desde 60m² até 1.000m². É ideal para quem tem um negócio pequeno em constante crescimento e que precisa de um local seguro para armazenar todos os seus produtos e materiais.

Em média, o custo por metro quadrado de um galpão comum é de R$18,80 em um galpão comum. Nesses galpões protegidos por lona, esse valor chega a incríveis R$9,00 em média por metro quadrado, podendo variar cerca de R$2,00 para mais ou para menos, chegando a R$7,00 nas versões mais baratas e R$11,00 em galpões com melhor localização.

Dessa forma, por exemplo, se você está procurando por um galpão de lona para locação com o tamanho de uma casa pequena de 60m², poderá pagar entre R$420,00 e R$660,00 de aluguel a depender da localização onde esteja esse galpão de lona, valendo realmente muito a pena pelo ponto de vista financeiro.

Como fica a segurança de um galpão de lona?

Mas, e como fica a questão da segurança de um galpão de lona para locação? Obviamente, a segurança de um galpão desses não chega aos pés dos galpões comuns. Isso acontece porque o galpão é protegido apenas por uma lona, sem segurança contratada para vigiar o local 24hs por dia.

Porém, isso não quer dizer que seja um serviço ruim, pelo contrário. O galpão não irá voar com o primeiro vento que bater. Trata-se de uma estrutura segura e feita para durar anos, mesmo com a ação de tempestades, ventos e chuvas que vem do lado externo.

Então, vale a pena contratar aluguel desse tipo de galpão, principalmente se você não tem financeiro suficiente para alugar um galpão maior. Esperamos ter ajudado você. Até a próxima!

Quando Começar a Introdução Alimentar?

Quando começar a introdução alimentar? Como todas nós sabemos, a introdução alimentar é o período em que o desmame é realizado: processo em que desvencilhamos o bebê do aleitamento materno completo, dividindo sua alimentação entre o próprio leite e outros alimentos mais sólidos.

Apesar disso, muitas dúvidas existem sobre o momento exato e correto em que o desmame deve ser realizado. Alguns dizem cinco, outros dizem seis meses, e há até mesmo quem mencione apenas quatro meses de vida do bebê. O mais correto é sempre se orientar por órgão de saúde confiáveis, como faremos hoje.

Neste conteúdo, separamos informações interessantes para que você saiba quando começar a introdução alimentar, assim pode cuidar da alimentação de seu bebê da forma mais correta possível. Vale lembrar de que produzimos esse conteúdo com a ajuda dos especialistas do Portal Pedagogia ao Pé da Letra. Leia conosco, vamos lá!

Desmame: quando começar a introdução alimentar?

Se você está se perguntando quando começar a introdução alimentar, como já mencionamos acima, a resposta é que não há uma data precisa.

Isso acontece porque a introdução de alimentos sólidos não é um ato puramente mecânico, fisiológico, automático, mas deve necessariamente ser inserido em um contexto vivencial, que leve em consideração não tanto a idade da criança, mas seu desenvolvimento psíquico e motor, assim como seu caráter e o tipo de família a que pertence.

O primeiro desmame costuma ocorrer por volta dos 6 meses, idade em que se reúnem as várias habilidades necessárias (intestinal, motora, psíquica) para que a criança possa começar a experimentar a introdução de alimentos sólidos com total segurança.

Claro que não será no sexto mês que toda criança estará pronta para começar a aprender sobre alimentos sólidos, algumas podem estar prontas um pouco antes, outras até alguns meses depois. Saiba que essa etapa é muito importante, para mais tarde, seu pequeno (a) ter um bom desempenho na atividade de matemática na escola.

Como sempre, a chave vencedora é observar a criança, ela mesma sinaliza que está pronta. Como? Demonstrar interesse e curiosidade pela comida e pelos gestos que os pais fazem durante as refeições. Então vamos ver em detalhes quando começar a introdução alimentar:

5 meses

Embora a OMS recomende o aleitamento materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida (significa exclusivo sem adição de água, chás de ervas, bebidas ou sólidos, com exceção de quaisquer vitaminas, minerais ou medicamentos que possam ser necessários), em alguns casos pode você precisa saber como iniciar o desmame aos 5 meses.

Para, por exemplo, evitar um quadro de anemia, artigos científicos em geral indicam que pode ser necessária a introdução de alimentos que sejam fonte de ferro em bebês com risco de deficiência de ferro antes dos 6 meses: partos prematuros, nascidos pequenos até a idade gestacional ou com ritmo de crescimento rápido, amamentado por mães com baixas reservas de ferro ou em caso de clampeamento precoce do cordão umbilical (ou seja, menos de 1 minuto após o nascimento).

Alternativamente, nas categorias de risco de deficiência, é possível implementar uma suplementação de ferro ao invés de antecipar o desmame. Será o seu pediatra de confiança, que conhece o histórico do bebê e da gravidez, que deverá orientá-la na melhor escolha.

Então, se você quer saber como desmamar um bebê de 5 meses, primeiro se certifique de que é absolutamente inevitável. Para que um bebê esteja pronto para consumir outros alimentos além do leite, é essencial que ele tenha um sistema digestivo maduro o suficiente para digerir o amido, as proteínas e as gorduras contidas na dieta e que tenha alcançado o desenvolvimento neurológico necessário.

Algumas crianças progridem mais rapidamente ao andar ou falar, e outras mais lentamente. O mesmo acontece também para a função alimentar. Isso depende de muitos fatores, incluindo o caráter da criança, as experiências oferecidas, o ambiente social, a sensibilidade aos estímulos sensoriais, entre diversos outros fatores que poderiam receber até mesmo um conteúdo exclusivo e detalhado.

  • Sabemos que nessa fase seu gasto aumenta muito, então, caso você esteja visando presta algum concurso para uma área publica, você pode contar com as provas anteriores para te ajudar nesta jornada.

Lembre-se de que as coisas não acontecem por acaso: o bebê, por volta dos 4-5 meses, começa a levar tudo à boca, mãos e objetos. Abrindo e fechando os lábios, lambendo e chupando, ele tem experiências que preparam sua boca para aceitar as sensações com as quais será bombardeado com a introdução alimentar: texturas dos alimentos, temperaturas e novos sabores.

Quando começar a introdução alimentar: 6 meses

Começar o desmame aos 6 meses deve, portanto, ser mais ou menos a “norma”, ao menos segundo a OMS, a Organização Mundial da Saúde.

Do ponto de vista motor, o bebê passa a se sentar sem apoio, a coordenar mãos e olhos para pegar o alimento e trazê-lo à boca, perde o reflexo de extrusão da língua e consegue utilizá-lo, juntamente com o lábio superior, para manter o alimento na boca (mesmo quando administrado com colher) e desenvolver a capacidade de mastigar (mesmo sem dentes) e ingerir alimentos sólidos com segurança e em maiores quantidades.

De fato, por volta dos 6 meses, o bebê é extremamente atraído pelo ambiente ao redor: ele observa tudo, tudo lhe interessa e é capaz de acompanhar os movimentos com o olhar, ele quer imitar e experimentar o que vê fazendo, especialmente pela Mamãe e Papai.

Se você está se perguntando como iniciar o desmame aos 6 meses, uma boa maneira é fazer com que seu bebê se sente à mesa com você e lhe dê algumas colheres: o bebê, inicialmente, ainda não perceberá que está comendo alimentos sólidos e vai colocá-lo na boca só para conhecê-lo. Até a próxima!

Cronograma para Estudos de Concurso

Um cronograma para estudos de concurso é algo que todo concurseiro que se preze deve ter. Esse tipo de documento auxilia na organização dos estudos, melhorando seus resultados lá na frente, quando você realiza a prova e acaba ficando entre os aprovados na lista das notas. Mas, e como organizar um documento como esses?

Um cronograma pode ser organizado de várias formas: de acordo com os horários que você tem disponível, de acordo com as matérias que precisa estudar, de acordo com os tópicos que você possuir maiores dificuldades de aprendizado, entre vários outros detalhes que fazem muita diferença no final.

Dessa forma, é de grande importância que além de estudar, você saiba o que é um cronograma desse tipo, como ele funciona, onde pode encontrá-lo e como pode montá-lo por conta própria, sem ter que pagar algo por isso.

Pensando nisso, neste conteúdo separamos dicas sobre como montar seu cronograma para estudos de concurso. Portanto, caso tenha dúvidas sobre o assunto e esteja começando a estudar para um concurso público como o concurso inss 2022, o concurso da caixa 2022 ou mesmo o concurso pf, vale a pena nos acompanhar até o final para aprender mais. Leia conosco, vamos lá!

O que é um cronograma para estudos de concurso?

Um cronograma para estudos de concurso é um documento organizacional como qualquer outro, seja para estudos de faculdade, para organização de suas tarefas semanais, para compras no supermercado com datas marcadas e até mesmo um balanço geral de gastos em seu mês.

Porém, o enfoque desse cronograma, como o próprio nome já indica, é diretamente nos estudos para um concurso público. Como mencionado, não é fácil passar em uma prova de concurso, sendo necessária muita dedicação por parte do concurseiro, que precisa se dedicar e muito em seus estudos.

Um documento como esses ajuda a organizar dias, horários e pautas que serão estudadas. Por exemplo, é possível organizar seu cronograma para todas as segundas-feiras estudar sobre conhecimentos gerais, enquanto nas terças se estuda sobre matemática, nas quartas você foca em português e quintas-feiras sobre conhecimentos específicos do concurso.

Na sua sexta-feira, é possível estudar uma quantidade menor de horas, selecionando apenas alguns resumos do que foi estudado durante a semana, buscando fortalecer ainda mais o conteúdo lido, adquirindo assim um conhecimento maior com base na repetição contínua.

Como fazer um cronograma para estudos de concurso?

Como mencionado anteriormente, o cronograma pode ser separado por matérias a cada dia. Porém, existem também outros modelos, como estudar duas matérias em um dia, segmentando o estudo por horas. Quem possui maior tempo disponível, pode optar por estudar até mesmo três matérias no mesmo dia, por mais que isso não seja o mais indicado.

A nossa recomendação é que assista vídeos na plataforma YouTube, de pessoas que já passaram em vários concursos e compartilham as técnicas que utilizavam para organizar seus estudos, como um cronograma. Assim, você pode criar o seu com base nas suas necessidades.

Compre um curso

Uma opção em que o gasto entra em cena, é a compra de um curso especializado no ensino para sua prova de concurso público. Existem vários, de carreiras policiais, carreiras bancárias, entre outros. Geralmente, esses cursos já vêm com dicas de como formar seu cronograma. Até a próxima!